RENASCITUDES

terça-feira, 25 de setembro de 2012

SER Ilka Vieira


SER Ilka Vieira...
Amadureci descobrindo que não posso ser uma única pessoa, porque não posso ser a mesma pessoa em todos os momentos...
Preciso ser o que a vida me permite sem que eu regrida na dignidade, na sensibilidade e na sabedoria.
Já não me cobro tanto e abraço meus pequenos defeitos, porque preciso deles para que eu faça parte da humanidade.
Sei que me comporto como exagerada, porque reajo com MUITO para tudo. Sinto muito calor ou muito frio; sinto muita melancolia ou muita alegria; sinto muito amor ou total indiferença; lembro-me de tudo ou de nada (jamais me recordo vagamente...).
Meus passos são largos, muito apressados ou então não saio do lugar, porque não sei caminhar lentamente...
Falo muito baixo ou grito, porque regulo o tom da minha voz através do tom de quem estou ouvindo... de quem estou apreciando ou está me incomodando. Reajo ao silencio do meu ouvinte com um tom muito alto ou com o próprio silencio como resposta.
Tudo em mim é muito intenso, porque não sei lidar com a minha intensidade de querer acertar.
Canso-me de SER... de não SER mais... ou de voltar a SER. Temo me perder... depois, temo me achar sem mais me querer...

Incomoda-me SER cíclica: numa temporada quero tudo por perto e bem perto (família, amigos, grandes amores...).  Em outra temporada, quero tudo bem longe, inclusive Eu de mim mesma.

Imaturidade? Despersonalidade? NÃO, Não, não... não sei! Mas é preciso ter maturidade para se ver como verdadeiramente se é!
É preciso ter personalidade para permitir-se despersonalizar diante das exigências da vida!
É preciso ter calma até para ter calma... é preciso aceitar que o sorrir pode ser um carinho ao impedimento de chorar...

Sou Ilka Vieira, mas sou tantas Ilkas também... sou Ilka sem ser ILKA e sou Ilka sem certeza se e de onde advém...

Mas, pra quem não teme a franqueza 
de quem se confessa nu e imperfeito, 
mergulhe na minha alma com inteireza,
sou Ilka Vieira sem questão de sujeito.



17 comentários:

  1. Metade de Ilka Vieira já é uma Ilka Vieira inteira! Estou emocionada com o que li nesta página. Estou aprendendo contigo, amiga querida que não há o que temer em ser o que se é! Estou mais sensível quando sinto na sua força a coragem de ser frágil. Eu tenho muito orgulho da sua amizade.
    Estou amando Renascitudes, estou aprendendo a fazer renascer as atitudes!
    Beijos e um abraço muito forte,
    Raquel Nonatto

    ResponderExcluir
  2. Lúcia Helena Martins Pinheiro11 de janeiro de 2013 17:45

    Ilka Vieira faz da sua poesia um templo onde o leitor sente que se encaixa em cada um dos seus recantos. É difícil citar algum dos seus poemas como eleito, são todos o retrato inteiro dessa autora maravilhosa que se expõe através da janela escancarada que é o seu lindo coração. É preciso conhecer Ilka Vieira para mergulhar junto com ela em cada momento da sua dor, da sua capacidade de ser jovem e amadurecida, de ser ela mesma sem receio de rasgar as máscaras!
    Eu te amo, Ilka e é a sua amizade ampla e profunda que me faz enxergar você por inteira.
    Beijos,
    Lu

    ResponderExcluir
  3. Querida amiga, como sabes estou numa tristeza grande por conta do falecimento do nosso velho Chico, mas percorrer o bosque Renascitudes foi um acalanto que me colocou de pé. Amo sua poesia, amo você! Parabéns pela criação de um espaço tão bonito, no qual quem te conhece se sente abraçada a ti.
    Beijos,imensa saudade, Hilda.

    ResponderExcluir
  4. É mesmo, concordo com a leitora acima, sua dor virou poesia e sua poesia cresce a cada dia, porque é franca e rica! Continuo fã dos teus poemas, felizmente achei teu blog, porque se for depender de ti que o divulgues não vai acontecer. Lembro-me que disseste-me um dia: - Escrevo pra mim e não para me promover; escrevo porque cada batida do meu coração é uma letra que precisa sair do cérebro embrulhadinha na emoção. Nunca esqueci isso, acredito em ti. Abraço do amigo de sempre,

    Guilherme Rozack

    ResponderExcluir
  5. Mais uma bela criação sua.
    Poemas como :Desembarque , Catarse , Pouso Noturno, Peregrina e Alicerce Marinho entre outros , me fazem viajar . Não deixe de postar tb o lindo poema " Completamente " .
    Bjs no seu imenso coração
    TT D' Oliveira. :)

    ResponderExcluir
  6. Senti falta tb de "Página Revista" ...belíssimo .
    Bjs
    TT D' Oliveira

    ResponderExcluir
  7. Surpresinhaaaaaaa, descobri que tens um blog novo!!!
    Lindo, hem Ilka, mas nem avisa pra ninguém, não entendo porque isso, se tudo que escreves é tão bonito.
    Senti uma emoção enorme ao ler: "Ser Ilka Vieira". O teu dom de escrever sobre si mesma é fantástico.
    "É preciso ter personalidade para permitir-se despersonalizar diante das exigências da vida!"
    Querida e inesquecível amiga, sinto tanto a tua falta, principalmente pelo jeito com o qual me dizia as verdades que impediam meus tombos. A vida acabou me mostrando isso tudo e de maneira muito cruel, hoje entendo uma série de coisas que a tua sabedoria me mostrava com carinho franco.
    Parabéns pelo blog e parabéns por SER MINHA AMIGA EXEMPLAR ILKA VIEIRA!
    Beijosssssss
    Soraya Simões

    ResponderExcluir
  8. "Repentinamente a chuva pára.
    O sol ressurge.
    Os olhos ficam mais claros "
    E o dia da volta se faz real.
    Bjs,
    Tetê

    ResponderExcluir
  9. Querida Ilka, nada poderia traduzir tão bem o coração de Ilka Vieira como ela mesma. Eu te conheço, poeta, você é isso tudo aí e muito mais.
    Beijos,
    Terezinha Monteiro

    ResponderExcluir
  10. As novas musicas foram escolhidas com muito carinho. Viajei em algumas como Stardust( principalmente) , An affair to remember e My Way. Me vi num " cantinho" de paz.
    bjs
    Tetê D´Oliveira

    ResponderExcluir
  11. É mágico ler-te sobre si mesma! É mágico encontrar-te depois de tantos anos e não poderia ser diferente, de novo eu a reencontro no mundo da poesia. Deixei uma mensagem na página do poema A MINHA OUTRA FACE, claro, tinha que ser nele e espero que lembres o motivo.
    Beijos, Vivi (Virgínia - Juíz de Fora)

    ResponderExcluir
  12. És uma grande mulher, além de brilhante escritora. Parabéns pela confecção do blog, este império literário que deteve-me por satisfatórias horas de leitura.
    Abraços,
    Joe Vergueiro

    ResponderExcluir
  13. Olá, Ilka. Aqui estou eu conhecendo sua arte de escrever. Não imaginava que a coleção fosse tão grande, levarei muito tempo pra ler tudo, mas já vi que gosto muito do seu estilo, seus escritos tocam lá no fundo e a maior parte deles tem associação com o que sinto.
    Muito antes de saber do seu dom poético já enxergava poesia na sua maneira de ser, de ensinar. Até quando és rígida, seus gestos são poéticos. Há uma boa seleção de músicas para acompanhar sua arte, gostei muito também, são relaxantes.
    Parabéns, professora; parabéns, Ilka escritora; parabéns, Ilka mulher!
    Ainda não consegui ler muita coisa no blog que me indicaste - Expressão Mulher, mas o pouco que li também gostei.
    Abraço do seu aluninho caçula,
    Duda

    ResponderExcluir
  14. Ilka Vieira é uma estrela e o seu brilho é tão intenso que nos ensina como criar o nosso próprio brilho. É preciso aprender a ser Ilka Vieira, para aprendermos a ser corajosamente medrosos... Ilka Vieira se torna urgente na vida de cada uma das pessoas que a conhece bem e a admira. Ilka Vieira, além de poética é amiga, é obra de Deus rara e pra sempre.
    Eu te admiro, Ilka, eu guardo comigo cada uma das frases que aprendi com você e que fazem a minha vida ser mais forte porque me ensinaste a confiar em mim.
    Linda a sua revelação "SER ILKA VIEIRA", linda a sua forma de abraçar as suas fraquezas que se tornam bravuras pra quem a lê.
    Enquanto Deus me conceder o direito de continuar desfrutando da VIDA, quero continuar desfrutando da sua sabedoria poeticamente profunda.
    Meu carinhoso abraço pra você.
    Fizze S. Hernandez

    ResponderExcluir
  15. O maior poeta da atualidade brasileira, Odir Milanez da Cunha - Oklima, paraibano dos mais ilustres, publicou no seu site do Recanto das Letras, uma belíssima homenagem à Ilka Vieira. Homenagem tão bela, que resolvi vir aqui e deixar o link para o conhecimento e leitura dos amigos e familiares da poetisa hoje estrela no Céu. O link é: http://www.oklima.net/visualizar.php?idt=4972014

    ResponderExcluir
  16. Que estejas estrela...

    ResponderExcluir
  17. “SER
    ILKA VIEIRA

    Amadureci descobrindo que não posso ser uma única pessoa, porque não posso ser a mesma pessoa em todos os momentos...
    Preciso ser o que a vida me permite sem que eu regrida na dignidade, na sensibilidade e na sabedoria.
    Já não me cobro tanto e abraço meus pequenos defeitos, porque preciso deles para que eu faça parte da humanidade.
    Sei que me comporto como exagerada, porque reajo com MUITO para tudo. Sinto muito calor ou muito frio; sinto muita melancolia ou muita alegria; sinto muito amor ou total indiferença; lembro-me de tudo ou de nada (jamais me recordo vagamente...).
    Meus passos são largos, muito apressados ou então não saio do lugar, porque não sei caminhar lentamente...
    Falo muito baixo ou grito, porque regulo o tom da minha voz através do tom de quem estou ouvindo... de quem estou apreciando ou está me incomodando. Reajo ao silencio do meu ouvinte com um tom muito alto ou com o próprio silencio como resposta.
    Tudo em mim é muito intenso, porque não sei lidar com a minha intensidade de querer acertar.
    Canso-me de SER... de não SER mais... ou de voltar a SER. Temo me perder... depois, temo me achar sem mais me querer...

    Incomoda-me SER cíclica: numa temporada quero tudo por perto e bem perto (família, amigos, grandes amores...). Em outra temporada, quero tudo bem longe, inclusive Eu de mim mesma.

    Imaturidade? Despersonalidade? NÃO, Não, não... não sei! Mas é preciso ter maturidade para se ver como verdadeiramente se é!
    É preciso ter personalidade para permitir-se despersonalizar diante das exigências da vida!
    É preciso ter calma até para ter calma... é preciso aceitar que o sorrir pode ser um carinho ao impedimento de chorar...

    Sou Ilka Vieira, mas sou tantas Ilkas também... sou Ilka sem ser ILKA e sou Ilka sem certeza se e de onde advém...
    Mas, pra quem não teme a franqueza
    de quem se confessa nu e imperfeito,
    mergulhe na minha alma com inteireza,
    sou Ilka Vieira sem questão de sujeito.”


    Infelizmente, só vim a conhecer a poeta Ilka Vieira, após ser sabedor de sua morte, agora em setembro. Através do Google lí um pouco de seu trabalho poético, inclusive esse seu senso de "SER" - base da homenagem póstuma que a ela presto no soneto, "A ESTRELA ILKA VIEIRA", que pode ser lido em meu site:

    http://www.oklima.net


    Requiescat in pace



    ResponderExcluir