RENASCITUDES

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Unilace



É madrugada!

Faz-se a insônia, um lago triste e murmurante, 
Guardando para si dores de desenlaces...
Se ao menos eu tivesse um doce amante,
Pintava sorrisos, criando faces...

Sussurra o cruel silêncio em quietude...
Há de querer dizer-me mais do que algo...
Se não o decifro pela amargura tão rude, 
Sobra-me o abandono, campo onde cavalgo...

Não há lua a enfeitar-me de brilhante,
Nada vibra, se a solidão amortece...
Se ao menos eu ainda fosse fumante,
Pela saúde, rezaria uma prece.

Ouço ao longe os pássaros que se amam
Criarem canções enobrecendo as carícias...
As folhas balançando se alcançam, se roçam...
A natureza faz amor noturno sem malícia!

Abri os braços e estendi as pernas...
Fechei os olhos e senti-me plena,
Presenteei-me com ternura subalterna,
Soltando um vitorioso grito de arena.

Autoria: Ilka Vieira

Um comentário:

  1. Poema corajoso e lindo, queria tê-lo escrito.

    parabéns, Ilka!

    Soraya Simões

    ResponderExcluir